terça-feira, 6 de agosto de 2013

Como “ler” e entender os rótulos dos alimentos?

 

Rótulos! Não se deixe levar pelos “claims”, informações destacadas, nos rótulos, leia atentamente! Rótulos de alimentos vão ter mais informação tertulia-conversas-rotulagem

É nos rótulos onde encontramos todas as informações relativas às propriedades nutricionais do produto que vamos adquirir.

 

Primeiro ponto importante:
  • A lista de ingredientes está em ordem DESCRESCENTE, mostrando primeiro o que tem em maior quantidade e terminando com o que tem menor quantidade.
Outras questões: na tabela contém informações numéricas dos principais nutrientes para o nosso organismo ou para quem precisa ter um controle alimentar.
lightdietNa rotulagem há declarações de propriedades nutricionais do produto onde descreve se esse é “diet”, “light”, “zero”, “integral”, “0% de gordura trans”, “com ômega 3” etc e na tabela descreve quantitativamente os nutrientes.
A avaliação deve ser feita usando como referência a coluna da esquerda com o “valor referencial” para consumo do adulto ou da criança.
Devemos nos atentar a quantidade de sódio para que esse não esteja muito próximo do recomendado para um dia. Olhar a quantidade de gorduras saturadas e trans. Preferir alimentos que sejam fontes de fibras, que contenha 2 ou mais gramas desse nutriente.
 
Entendendo os itens declarados:
  • Sódio: é um mineral, micronutriente, images (8)encontrado em praticamente todos os alimentos. No organismo é imprescindível, para o bom funcionamento celular, porém em grande quantidade pode sobrecarregar as funções dos rins, causando retenção de líquido e por consequência sobrecarregando o coração causando um aumento na pressão! Por isso devemos consumir alimentos com baixa quantidade desse nutriente.
    • Na indústria o sódio é utilizado para conservar os alimentos e por isso embutidos, enlatados, sopas em pó e sucos em pó contém uma quantidade elevada desse nutriente.
  • Carboidratos: Nutriente que gera fonte de energia. É dividido em dois grupos os complexos e os simples. Os simples são os açúcares e os complexos são as farinhas, massas que podem ser integrais ou não. Esse nutriente é importantíssimo para o bom funcionamento do corpo para gerar energia, mas deve ser consumido controladamente, principalmente os simples, para evitar o acúmulo no organismo na forma de gordura. Sim, apesar de ser carboidrato o açúcar em excesso no organismo é convertido para gordura e é armazena no tecido adiposo que pode ser na região abdominal, culote, costas, braços etc. Frutas são ricas em carboidratos, por isso sucos tem uma elevada quantidade desse nutriente, pães e massas também são ricos nesse nutrientes por isso devemos nos atentar na quantidade de consumo. Doces, balas, chicletes, bolachas recheados são ricos em açúcares simples e por essa razão devemos limitar o consumo diário.
  • Proteínas: nutriente essencial para a construção de tecidos no organismo, como a pele e os músculos, assim como todos os tecidos do organismo. Os alimentos fontes de proteína geralmente são os de fonte animal, mas hoje com o crescente mercado da soja temos a opção de alimentos a base de nutriente também ser fonte de proteínas.
  • Gorduras totais: nutriente importantíssimo para o funcionamento do organismo. Hormônios são produzidos a partir de gordura e o cérebro, cerca de 60%, desse órgão é feirto de gordura, MAS não é qualquer tipo de gordura, é feito pelas gorduras que chamamos de “boas” as insaturadas e poliinsatudas. Por isso devemos nos atentar na rotulagem para essa informação.rotul
    • Gorduras saturadas: Esse tipo de gordura é encontrada em alimentos de origem animal e podem causar problemas vasculares quando consumidas em excesso, e devido a isso devemos atentar-nos com a quantidade de consumo.
    • Gorduras trans: Gordura de origem vegetal que sofreu MODIFICAÇÃO química transformando uma gordura líquida em sólida para dar melhor palatabilidade aos alimentos a tornando numa gordura nociva ao corpo. Deve-se evitar o máximo que puder.
  • Fibras: Tipo de carboidrato encontrado no reino vegetal que não temos a capacidade de absorver e que tem ação no funcionamento intestinal, aumentando o bolo fecal facilitando a evacuação. Além disso, é importante ter um bom consumo de fibras pois essas ajudam no controle glicemia (açúcar no sangue) e lipidemia (gordura no sangue).

 

Valores de referência:

Os valores de referência dos dá uma boa base de quanto de calorias e de nutrientes devemos consumir por dia, separado em valores de referência para adulto e para crianças.

Informações importantes:

  • Alguns produtos descrevem o tipo de carboidrato, qual a quantidade de açúcares presente no produto, quais os tipos de gordura de além de saturada há as insaturadas e poli-insaturadas.
  • Data de validade é importante ser avaliada! Muitas vezes na correria não nos atentamos e compramos uma grande quantidade de um produto com data próxima a validade e perdemos esse alimento.
  • rotuloGosto de avaliar o produto pela lista de ingredientes pois, dá uma boa noção da qualidade desse alimento, informando o tipo de gordura adicionada, se é uma gordura vegetal hidrogenada (fonte de trans) ou se é um óleo, ou se o pão integral é feito com farinha integral ou farinha branca, ou se o suco pronto contém mais açúcares do que o próprio suco (lembre-se que se o ingrediente está listado como primeiro esse é o que contém em maior quantidade), se no produto há muitos conservantes e corantes muitas vezes descritos com números que não entendemos muito bem.
  • É importante atentar-se na PORÇÃO! Esquecemos de avaliar o produto por esse quesito. Pegamos um pacote de bolacha recheada, vemos a quantidade de açúcar e gordura e não nos atentamos que aquela informação é para SOMENTE 30g do produto (cerca de duas unidades).
    • Cada grupo de alimentos tem uma porção padrão! Para os pães a porção é de 50g, sucos e bebidas 200ml, biscoitos e bolachas recheadas 30g, etc. Atente-se a essa informação.
  • Claims! Chamadas dos produtos. Cada vez mais as embalagens estão mais chamativas, com mais informações e acabamos nos pimages (7)erdendo no alto número de claims como os zero, diet, light, integral entre outros. Mas, vale a dica quanto aos “zeros”: Nem sempre quando informam “zero” quer dizer que “não contém”! Existe um valor referencial que nos indica uma quantidade mínima em gramas ou miligramas de cada item que precisa ser declarado. Assim, se um alimento contém ≤ 0,2 de gordura trans essa informação não precisa ser declarada, porém eles não podem colocar que não contém e por isso muitas vezes informam 0% de gordura trans ou 0 (zero) de gordura trans, não porque não contém e sim porque contém uma quantidade não significativa de acordo com uma tabela que a ANVISA (Agência de Vigilância Sanitária) disponibiliza para a realização de tabela.
Van nutri
#nutricionistaesportivavanessalobato






Nenhum comentário:

Postar um comentário