terça-feira, 22 de novembro de 2011

Maltodextrina e Dextrose–Carboidratos simples de Rápida Absorção


O que é? Chamado popularmente de açúcares, esse grupo de nutrientes é muito mais que isso. São polihidroxialdeídos ou polihidroxicetonas, ou substâncias que liberam estes compostos por hidrólise. Os hidratos de carbonos ou glicídios é a principal fonte de energia para o corpo humano. São classificados de acordo com o número de moléculas:
Monossacarídeos: uma molécula – Glicose, frutose (“açúcar” da fruta) e galactose;
Dissacarídeos: duas moléculas – Sacarose (Glicose + Frutose) – conhecido como açúcar; Maltose (Glicose + Glicose) – açúcar do malte; Lactose (Glicose + Galactose) – “açúcar” do leite.
Oligossacarídeos: de três a vinte moléculas - rafinose, estraquiose, frutooligossacarídeo;
Polissacarídeos: várias moléculas – glicogênio, amido e fibras.
Há uma outra classificação dos carboidratos, como simples e complexos:
Simples – São os monossacarídeos, dissacarídeos e os oligossacarídeos;
Complexos – São os polissacarídeos.
 
Descrição de alguns carboidratos:
· DEXTROSE ou glicose: carboidrato simples, monossacarídeo;
· AÇÚCAR: carboidrato simples, dissacarídeo, formado através de uma ligação glicosídica do tipo α-1,4 das moléculas de glicose e frutose;
· MALTODEXTRINA: carboidrato simples, oligossacarídeo, constituído por cerca de 3 a 18 moléculas de glicose que formam uma cadeia simples, sem ramificações de fácil digestão;
· AMIDO: carboidrato complexo, polissacarídeos, constituído per centenas de moléculas de glicose e frutose que formam uma cadeia complexa, com muitas ramificações, de amilopectina e amilase.
 
Tanto a maltodextrina quanto a dextrose possuem alto índice glicêmico, são rapidamente absorvidas e são responsáveis pela hiperinsulinemia – alta liberação de insulina no sangue e muitas vezes responsáveis pela HIPOGLICEMIA DE REBOTE!

Hipoglicemia de Rebote: Após o consumo de algo muito doce, a glicemia sobe rapidamente. Para corrigir esse feito o pâncreas libera uma boa quantidade de insulina para que a glicemia normalize. como garantia, na maioria das vezes, o corpo libera uma quantidade extra de insulina – já que o corpo não sabe se a pessoa vai consumir mais açúcar - e acaba liberando mais insulina do que a necessaria para normalizar a glicemia causando uma queda na insulina – que é a chamada hipoglicemia de rebote.
Causa: tontura, enjoo e até vômitos. Em treinos causa perda de desempenho. Muitos atletas acabam usando esse tipo de carboidrato para disponibilizar energia rápida para o corpo, porém corre o risco de ter uma hipoglicemia de rebote e como consequência perda de rendimento!

Após o treino o carboidrato é usado para auxiliar na recuperação muscular tanto por ser usado como energia pela musculatura quanto pela via da insulina, que é um hormônio anabólico. Quando consumimos carboidratos de alto índice glicêmico há uma elevada liberação de insulina. Isso no pós-treino auxilia a entrada tanto de energia quanto aminoácidos para os músculos.

RECOMENDAÇÕES:

RECOMENDAÇÕES GERAIS DE CARBOIDRATO PARA PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA
Burke & Deakin, 1994 : Atletas que treinam intensamente: 7-10g de carboidratos/kg de peso/dia ou 60% do VCT;
ADA, 2000 : Praticantes de atividade física: 55 a 60% do VCT e atletas: 60 a 75%;
*6-10g de carboidrato/kg/dia (ADA, 2000).
RECOMENDAÇÕES PRÉ-EXERCÍCIO
ADA,2000: nas 3-4 horas que antecedem:
· 4-5g de carboidrato/kg de peso - 200-300g de carboidrato.
RECOMENDAÇÕES DURANTE O EXERCÍCIO
30-60g de carboidrato/hora (ADA, 2000; Driskell, 2000);
0,7g de carboidrato/kg/hora (ADA, 2000)
RECOMENDAÇÕES PÓS-EXERCÍCIO
· 0,7-3g de carboidrato/kg de peso de 2 em 2 horas, durante as 4-6 horas que sucedem o término do exercício;
· 0,7-1,5g de glicose/kg de peso de 2 em 2 horas, durante as 6 horas após um exercício intenso + 600g de carboidrato durante as primeiras 24 horas (Ivy et al., 1998);
· 1,5g de carboidrato/kg de peso nos primeiros 30 minutos e novamente a cada 2 horas, durante as 4-6 horas que sucedem o término do exercício (ADA, 2002);
· 0,4g de carboidrato/kg de peso a cada 15 minutos, durante 4 horas.
A concentração de maltodextrina numa bebida para ter uma rápida absorção, deve ser de 6 a 8% o que equivale 30 a 40g (1 ½ a 2 collheres de sopa) de malto para cada 500 ml de água.
SUPLEMENTOS NO MERCADO:
Dextrose: 100% Dextrose – Atlhetica; 100% Dextrose – integralmédica; Dextrose – Probiótica®; Dextrose Powder 1000 – Body Action®;
Maltodextrina: 100% Maltodextrina – Atlhetica; Carb up – probiótica®;
Energéticos que contém malto e/ou dextrose na composição: Accelarade – pacific Health®; Glicodry – Nutrilatina ®; Endurox R4 – Pacific Health; Glyco Fuel – Performance Nutrition®;

Att,
Van nutri

Vanessa Lobato Nutricionista Esportiva
#Nutrição Esportiva

19 comentários:

  1. Está absolutamente fantástico este post, super completo e muito muito muito informativo e não chato de ler! Está muito bem estruturado, Parabéns Vanessa!!

    ResponderExcluir
  2. Show de bola a matéria Gigante!!
    Parabéns pelos termos usados, isso favorece a compreensão.

    ResponderExcluir
  3. Adorei encontrar este post, pois me dá a oportunidade de fazer uma pergunta que, infelizmente, a nutricionista que me consultei, não soube responder: o mel substitui a malto e a dextrose no pos-treino? tenho certeza que agora terei uma resposta. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Os três são carboidratos simples.
      Sim, substitui.
      Att,
      Van nutri

      Excluir
  4. Olá Vanessa ! Eu gostaria de saber se a maltodextrina pode ser usada associada a whey protein no pré e pós treino por diabéticos tipo 2 ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Procure um profissional para melhor orientá-lo. O uso deve ser acompanhado de um profissional.
      Eu, não aconselho, ok!
      Maltodextrina é açúcar.
      Att,
      Van nutri

      Excluir
    2. Obrigado pela atenção e parabéns pelo blog.
      Estou aguardando novas publicações.

      Excluir
  5. Olá Vanessa parabéns pelo blog. Então, qual vc me indica comprar: malto ou dexto?
    Cézar Mamede Jr.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Cézar!

      Não sei rs. Não conheço a sua necessidade! Procure um nutricionista para fazer uma avaliação e assim melhor ajudá-lo!

      Excluir
  6. Olá, Vanessa!

    Sofria com esse efeito rebote e nem sabia. Costumava tomar malto antes e durante o treino, pq sentia que me dava mais energia. Mas depois de um tempo, passei a ter tonturas, vista turva, suor frio, quase desmaiar enquanto malhava. Como minha pressão é normalmente baixa, achava que era só queda de pressão.

    O instrutor me dava algo doce pra comer, e eu voltava ao normal, mas encerrava o treino e ia pra casa. Isso se repetiu várias vezes, até que desisti de malhar, achando que estava com algum problema. Fiz um check-up e não tinha nada.

    A malto era sem sabor e sem cheiro, mistura com leite e nescau pra ficar mais palatável. Será que foi esse o erro? Vou voltar a malhar, mas queria indicação de um suplemento pra antes e durante o treino. O que vc me sugere?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ter sido por causa da malto mesmo =/
      Procure realizar uma consulta com nutricionista para ser avaliada e saber o que é melhor para o seu caso ;)
      Att
      Van nutri

      Excluir
  7. Boa Noite,

    Gostaria de saber exemplos de CARBOIDRATOS a serem ingeridos antes do treino e CARBOIDRATOS + PROTEINAS após o treino...

    Pois vi um noticiário falando sobre o treino e quais alimentos devemos comer antes e depois dos treinos...

    ResponderExcluir
  8. OLÁ GOSTARIA DE SABER SE AQUELES SUCOS EM PÓ TIPO TANG PODEM SER USADOS ANTES E DURANTE O TREINO COMO FONTE DE MALTODEXTRINA E CARBOIDRATOS SIMPLES

    ResponderExcluir
  9. Olá, queria saber se a maltodextrina pode propiciar pedra nos rins.

    ResponderExcluir
  10. Obrigada pelo esclarecimento! Tenho intolerancia a glicose e todas as vezes que eu comia bolo ou pão com adoçante forno e fogão minha glicose aumentava muito! Vou usar ameixa seca que adoça a receita de pão numa boa. Agora no bolo....não sei o que usar!



    ResponderExcluir
  11. Talvez meu questionamento fuja do foco mas quem sabe?! Vejo esse composto em alimentos voltado ao publico infantil. Tenho um bebê de 11 meses e nem sempre dá para bater o leite dele com um cereal e fruta. Nessas situações usamos esses produtos. Qual o efeito sobre o organismo do bebê? os rótulos destacam SEM ADIÇÃO DE AÇÚCAR mas não é açúcar? Li sobre Hipoglicemia de Rebote e fiquei em alerta.

    ResponderExcluir
  12. Poderia me esclarecer porque a maltodextrina também é definida como carboidrato complexo diferente da sua definição? Outrossim,algumas publicações consideram que obrigatoriamente a maltodextrina não tem IG alto,deve-se levar em conta também a intensidade de hidrólise da mesma. O que você acha a respeito?

    ResponderExcluir